Seguro de vida para funcionários de condomínio

08/05/2007

Apesar de não ser obrigatório, é essencial o condomínio contratar o seguro de vida para os funcionários, pois o síndico e o próprio Condomínio ficam amparados e protegidos financeiramente. O sindicato da categoria exige em caso de morte do funcionário uma indenização para os beneficiários, no valor de até 12 vezes o salário, mais duas vezes o piso da categoria, para arcar com as despesas de funeral. 

É comum que alguns condomínios não tenham o seguro de vida e isso pode refletir em um problema considerável. No caso do falecimento de um funcionário, não é raro familiares acabarem recorrendo diretamente ao síndico e ao Condomínio para custear as despesas funerárias. Tal encontro pode gerar a falta de recursos no caixa do condomínio, causando constrangimento. 

Também não se pode descartar a vulnerabilidade de condomínios que, assim como empresas, podem receber processos de funcionários na ocorrência de um acidente. Evidentemente, caso não haja uma cobertura de um seguro, haverá dificuldades em enfrentar a pena da justiça do trabalho. O ganho de causa na maioria das vezes  beneficia o trabalhador, o que pode variar o valor é o tipo da causa e interpretação do juis. Por esse motivo, é bom estar protegido com um seguro compensador ao funcionário do condomínio, evitando assim maiores preocupações. Deste modo, conceder o benefício do seguro aos empregados, não pode ser considerado como um custo, mas sim um recurso protetor, que traz tranqüilidade em vários aspectos, principalmente na questão financeira.  

A vantagem de tal prevenção tem um custo benefício muito interessante para o Condomínio, Pois da mesma forma que protege financeiramente todos os envolvidos, também funciona como um benefício ao seu funcionário. 

Normalmente é comum os síndicos contratarem em sua apólice para o prédio a Cobertura de Vida em Grupo, porém nesse modelo de plano, pode não ser o ideal, já que numa contratação de uma apólice específica, o investimento concede valores reduzidos e agrega mais benefícios para os funcionários do condomínio. Isso sem contar que na regulação do sinistro, a indenização é menos burocrática e mais rápida. 

Existem opções interessantes que realmente cabem no bolso do condomínio. “O seguro de vida contratado na apólice do prédio, por exemplo, com uma importância de R$ 80.000,00 – para cinco funcionários –, custa em média, somente para as coberturas de morte por qualquer causa e invalidez por acidente, entre  0,50% a 0,80% (dependendo da seguradora). Ou Seja, R$ 240,00 no ano. 

Contratando uma apólice específica com essas mesmas importâncias e coberturas, a taxa cai para 0,12% ao ano. Representando um valor em torno de R$ 97,00 no ano. 

Incluindo as coberturas adicionais de assistência funeral familiar – cônjuge e filhos – e cesta básica, essa taxa custará 0,32% ao ano. Ou seja, um custo anual de R$ 256,00, declara Marcio Diniz, diretor da Edifiseg. 

Essa avaliação é possível pela importância da apólice, podendo oscilar de acordo com o salário dos funcionários. Deste modo, o condomínio pode contratar uma cobertura múltipla salarial, tendo como base somente o montante da folha de pagamento. 
Esse tipo de condição é possível de ser exemplificada da seguinte maneira: Temos 5 funcionários em um Condomínio , no qual , cada um deles recebe em média um salário de R$ 700,00, portanto, esse valor será multiplicado por 12 vezes(multiplicado pelo número de funcionário (o exigido pelo sindicato)), gerando uma apólice com uma importância de R$ 42.000,00. Utilizando a taxa que exemplificamos acima (0,12% ao ano), o custo anual será de R$ 50,40 no ano. 

Tais números indicam a importância de estar atento aos detalhes que fazem parte da contratação de um bom seguro. “Achamos essencial os síndicos protegerem financeiramente seus condomínios e a si mesmo" Tendo como preocupação, seus empregados e respectivos dependentes, já que também é uma exigência feita pelo sindicato da categoria” diz Marcio Diniz / Plinio Spina

Fonte: Edifiseg – www.edifisegseguros.com.br 

Comentários


Seja o primeiro a comentar.
Comentar

Entre com Facebook

Não tem Facebook?

Entre com seu e-mail e senha